Desfile de 25 de Abril de 2017

 

Associação Portuguesa de Deficientes, com o patrocínio da MSD e o apoio da Escola Superior de Comunicação Social, realizou no  dia  29 de Fevereiro de 2012, na biblioteca da ESCSL  a   4ª edição do Prémio Dignitas.
Foram distinguidos os seguintes trabalhos publicados pela Comunicação Social no ano de 2011:

Prémio - Televisão e Prémio Dignitas: 
As asas do desejo” da jornalista TVI - Alexandra Borges.
Link: http://www.youtube.com/watch?v=3R6uSIvy_V0
A reportagem retrata o tema da sexualidade na deficiência e salienta um dos direitos fundamentais da pessoa com deficiência que, muitas vezes, é pura e simplesmente ignorado. Os pais são os primeiros a olhar os filhos como seres assexuados mas, no geral, também é assim que a sociedade os olha. Mas a verdade é que as pessoas com deficiência têm desejo como qualquer ser humano e, muitas vezes, dificuldade em satisfazê-lo por causa da sua condição física ou de estarem dependentes de terceiros para o fazer. “As asas do desejo” é um testemunho na primeira pessoa sobre a sexualidade na deficiência.

Menção honrosa:
Abraçar a vida – o exemplo de Pedro Guerra”, do jornalista RTP - Roger Mor.
Fala-nos de Pedro Guerra, a quem, aos 16 anos, uma electrocussão roubou os dois braços, facto que, longe de constituir um ponto final, foi assumido como ponto de partida. A deficiência fê-lo voltar à escola, apostar na formação, envolver-se no desporto e, acima de tudo, mudar a mentalidade de todos os que se cruzam com ele. A reportagem apresenta o relato na primeira pessoa.

Prémio - Imprensa escrita
Surdos & Actores” da jornalista - Sara Sá e fotografias de David Clifford.
Conta-nos a história de inclusão pela arte. Pegando no filme realizado pelo cineasta Borges Correia sobre e com surdos, a Visão fez a reportagem no local das filmagens.

Prémio - Rádio:
Vermelho da cor do céu”, da jornalista da TSF -
Ana Catarina Santos em co-autoria com Luís Borges.
Link: http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1855975
É um trabalho acerca das pessoas com uma deficiência congénita: a cegueira. O modo como vêem o mundo, sem nunca o terem visto com os olhos: a sua vida, os seus anseios, desejos, sonhos, dificuldades, discriminações, dores, violações, direitos, realizações, desabafos, gemidos, gritos, imagens, cores, gestos, vontades, confissões, segredos, apelos, alertas… Um mundo tantas vezes incompreensível e incompreendido por quem vê, relatado na primeira pessoa.

Menção honrosa:
Cercimac – um exemplo de (d)eficiência e integração social
do jornalista Miguel Midões da Rádio Onda Livre Macedense. 
Relata-nos  como a CERCI de Macedo de Cavaleiros luta diariamente contra a indiferença e como a inclusão dos seus utentes na vida activa é o seu grande objectivo, com casos pontuais de sucesso.

Prémio - Jornalismo Universitário:
Beats fortes  num corpo fraco” ao estudante João Dias da ESCSL. 
Apresenta-nos Leandro Oliveira, mais conhecido por Myslo, rapper e produtor de Hip-Hop e música electrónica. Vive em Lisboa, no bairro social da Bela Flor. Ouve hip-hop desde criança e aos 14 anos pegou no microfone. De calças largas e descaídas, usa piercings e fala o típico calão rapper. Actualmente com 21 anos, é um produtor com cartas a dar no mercado. Uma história parecida com tantas outras, mas diferente.