Desfile de 25 de Abril de 2017

 

ESTUDO SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DA PANDEMIA COVID-19 NOS CUIDADORES INFORMAIS / FAMILIARES / NÃO REMUNERADOS DE TODA A EUROPA

 

A Câmara Municipal de Lisboa convida-o/a a participar neste estudo, preenchendo o questionário online até ao final do mês de fevereiro), usando o seguinte link https://www.surveymonkey.com/r/8B5NBJR?lang=pt

 

Este questionário é promovido pela Eurocarers - European Association Working for Carers (https://eurocarers.org/) e destina-se a todos os cuidadores informais / familiares / não remunerados de pessoas idosas, vulneráveis ou portadoras de deficiência por toda a Europa que pretendam partilhar a sua experiência durante a crise COVID-19.

 

O preenchimento do questionário requer cerca de 20 minutos do seu tempo. No entanto, tenha em atenção que a plataforma permite que interrompa a submissão do questionário e retorne, mais tarde, caso se sinta cansado ou tenha pouco tempo à sua disposição, portanto, não veja isso como um potencial obstáculo para a sua contribuição. Para interromper a submissão e regressar mais tarde, basta reabrir a página através do link abaixo e atualizá-la. Deve introduzir novamente o questionário na pergunta onde o deixou.

 

Os resultados deste inquérito serão, portanto, úteis para conceber orientações a nível europeu destinadas aos decisores políticos, prestadores de serviços e cuidadores informais na gestão de situações críticas (como por exemplo, a "quarta vaga" e futuras pandemias), bem como, a nível nacional apoiar melhores decisões políticas.

 

Todas as respostas a este questionário são totalmente anónimas, a menos que escolha o contrário.

 

Se tiver alguma dúvida sobre esta investigação, por favor, entre em contacto com o responsável pelo projeto: Prof. Doutor Bruno Alves, email:Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

  

                           

 

 

 

 

 

 

RGPD - Regulamento Geral de Proteção de Dados

 

De acordo com o Regulamento Geral de Proteção de Dados, os dados recebidos através das páginas web, serão processados informaticamente e a sua utilização destina-se exclusivamente para uso interno para responder às questões e formalizar diligências junto das entidades responsáveis. O utilizador deve ter conhecimento de que os dados inscritos irão circular numa rede aberta até ao seu registo na Base de Dados, podendo ser intercetados por terceiros. Aos utilizadores é garantido o acesso aos dados para eventual correção ou eliminação. 

A Associação Portuguesa de Deficientes não fornecerá os dados pessoais a entidades terceiras, e só em situações de necessidade de identificação para resolução das suas questões, haverá uma comunicação prévia solicitando a sua autorização para fornecer os seus dados a entidades terceiras, nomeadamente Câmaras, Hospitais, e Instituições Públicas, pelo que, a sua utilização pressupõe o conhecimento e aceitação destas condições.

 

Poderá consultar mais informações sobre o Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de abril de 2016 e a sua aplicação em https://www.cnpd.pt/bin/rgpd/rgpd.htm 

 

Saiba mais sobre a nossa política de privacidade aqui.