Desfile de 25 de Abril de 2017

 

Em termos de apoio aos transportes e a acessibilidade, pode ser consultado no site Portugal Acessível o guia de transportes existente e as especificações dos equipamentos que dispõem: http://www.portugalacessivel.pt/default/pesqtransportes/id/26

 

Os transportes rodoviários sobretudo interurbanos constam com uma frota equipada e preparada para transportar pessoas com mobilidade condicionada, contudo em Lisboa, por exemplo, essa frota corresponde apenas a 50%.

Informações mobilidade condicionada e Carris em http://www.carris.pt/pt/mobilidade-reduzida/

Por seu lado a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) já atingiu a meta de ter uma rede acessível composta por 100% dos veículos com piso rebaixado e 66% com rampa.

A STCP estabeleceu uma mini-rede de linhas para servir pessoas com mobilidade reduzida, a Rede de Acesso Fácil. Esta rede abrange ligações entre pontos considerados mais úteis (hospitais, zonas comerciais, universidades, etc..). A rede permite aos cidadãos com mobilidade reduzida programar as suas deslocações na rede.

Informações mobilidade condicionada e STCP em http://www.stcp.pt/pt/viajar/acessibilidade/regras-de-utilizacao/

Consultar o Documento de Acessibilidade da APD

Consultar o Decreto-Lei n.º 58/2004, de 19 de Março

Consultar a Directiva n.º 2001/85/CE, de 20 de Novembro

A esmagadora maioria dos transportes rodoviários de longa distância não está preparada com equipamentos para permitir o acesso a todas as pessoas.

 

 

 

 

 

RGPD - Regulamento Geral de Proteção de Dados

 

De acordo com o Regulamento Geral de Proteção de Dados, os dados recebidos através das páginas web, serão processados informaticamente e a sua utilização destina-se exclusivamente para uso interno para responder às questões e formalizar diligências junto das entidades responsáveis. O utilizador deve ter conhecimento de que os dados inscritos irão circular numa rede aberta até ao seu registo na Base de Dados, podendo ser intercetados por terceiros. Aos utilizadores é garantido o acesso aos dados para eventual correção ou eliminação. 

A Associação Portuguesa de Deficientes não fornecerá os dados pessoais a entidades terceiras, e só em situações de necessidade de identificação para resolução das suas questões, haverá uma comunicação prévia solicitando a sua autorização para fornecer os seus dados a entidades terceiras, nomeadamente Câmaras, Hospitais, e Instituições Públicas, pelo que, a sua utilização pressupõe o conhecimento e aceitação destas condições.

 

Poderá consultar mais informações sobre o Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de abril de 2016 e a sua aplicação em https://www.cnpd.pt/bin/rgpd/rgpd.htm 

 

Saiba mais sobre a nossa política de privacidade aqui.