Venha Jogar Xadrez – para cidadãos invisuais e com baixa visão

Inicio  »  Notícias APD  »

Venha Jogar Xadrez – para cidadãos invisuais e com baixa visão

Partilha esta notícia

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email

Venha Jogar Xadrez – para cidadãos invisuais e com baixa visão

Venham jogar Xadrez connosco!

Este é o lema da Federação Portuguesa de Xadrez, com o apoio da ART-Associação de Residentes de Telheiras, para incentivar a aprendizagem junto dos mais novos.
O alcance geográfico desta iniciativa é a região de Lisboa.
O Xadrez é uma atividade com múltiplos benefícios para o desenvolvimento intelectual, emocional e social das crianças.
A aprendizagem do Xadrez estimula a concentração, memória, raciocínio lógico, a visão espacial, a criatividade e alicerça processos de planeamento, organização e tomada de decisão, conferindo ao aluno ferramentas que serão úteis ao longo de toda a vida.
O Xadrez ensina a perder. O Xadrez é um jogo individual em que a responsabilidade das derrotas apenas pode passar pelo jogador. É ao aprendermos a reconhecer os nossos erros que podemos evoluir.

No contexto da deficiência visual, o Xadrez é a única modalidade em que o atleta compete em pé de igualdade com atletas visuais, quebrando as barreiras tradicionais do desporto adaptado. Desta forma o Xadrez adaptado constitui uma  ferramenta particularmente interessante na construção de um saudável desenvolvimento emocional e social do cidadão invisual ou de baixa visão.
Mas acima de tudo o Xadrez é um jogo divertido em que passamos bons momentos com os nossos amigos e colegas.

A Federação Portuguesa de Xadrez (com o apoio do IPDJ) compreende a importância do xadrez no desenvolvimento dos cidadãos com deficiência visual e reconhece o estado pré-embrionário do xadrez adaptado em Portugal. Assim, a Federação lançou as bases para o desenvolvimento do Xadrez adaptado em Portugal, desafiando todos clubes e treinadores a criarem ações em 3 pilares:

               1 – Divulgação da modalidade 

               2 – Iniciação ao xadrez para cegos

               3 – Ensino de nível intermédio e avançado

Notícias Relacionadas

Tenho um filho com deficiência. E agora?

A Associação Humanitária de Bombeiros de Torres Vedras realizou, no passado dia 20 de janeiro, um workshop sobre emergências pediátricas, para o qual a APD foi convidada a intervir sobre o tema: «Tenho uma criança com deficiência e agora?»

Skip to content